Dicas de Manejo para combate da Ferrugem Asiática

Pragas

Casos de Ferrugem Asiática preocupam produtores. Veja como combater a doença

Fungicidas protetores auxiliam no manejo de resistência


20/12 7:06 118 visualizações

Compartilhar:

A ferrugem asiática foi identificada no Brasil pela primeira vez em 2001 e atualmente é considerada uma das principais doenças da soja. Na safra 2017/2018 foram identificados 641 casos de contaminação no país, maior número dos últimos sete anos.

Este ano a ferrugem chegou mais cedo às lavouras de soja e muitos produtores já ligaram o sinal de alerta.  De acordo com os dados do Consórcio Antiferrugem, uma parceria público-privada coordenada pela Embrapa, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, entre os meses de outubro e dezembro foram identificados 113 casos da doença no país. A região sul é a mais afetada com 79 focos, sendo 44 no Paraná, 27 no Rio Grande do Sul  e 8 em Santa Catarina.

A antecipação das chuvas e a presença de plantas voluntárias no período de entressafra favorecem a proliferação da doença.

Conheça a Ferrugem Asiática:

A doença é causada pelo fungo Phakopsora pachyrhizi e pode acarretar em perdas de 10% até 90% na produtividade dependendo da região. As plantas que são severamente afetadas apresentam desfolha precoce, comprometendo a formação, enchimento das vagens e o peso final do grão.

Os sintomas iniciais da doença são pequenas lesões foliares, de coloração castanha a marrom – escura na parte superior da folha. Já na parte inferior ocorre a formação de verrugas, conhecidas como urédias, local onde o fungo produz os esporos.

Dicas de Manejo:

As principais estratégias de manejo da doença são:

  • Respeitar o período de plantio do vazio sanitário adotado por cada estado;
  • Utilizar variedades de ciclo precoce e semeaduras na época recomendada;
  • Eliminar plantas voluntárias de soja durante a entressafra;
  • É importante também que o produtor realize o monitoramento constante na lavoura para iniciar o controle químico logo após o surgimento dos primeiros sintomas.

Controle Químico:

A aplicação do fungicida deve ser feita após  os sintomas iniciais da doença na lavoura, a decisão sobre o momento da aplicação deve ser técnica, levando em conta fatores como presença do fungo na região, idade das plantas e condições climáticas.

Segundo os ensaios técnicos realizados pela Embrapa os fungicidas a base de Clorotalonil e Mancozebe apresentam controle satisfatório para manejo da ferrugem.

A Ourofino Agrociência é a única empresa no mercado que disponibiliza os dois ativos. Em nosso portfólio temos o Nillus, produto a base de Clorotalonil, de formulação líquida, com melhor recobrimento foliar, fixação superior e menor perda por lavagem quando comparado com os principais concorrentes. A outra solução é o Eleve, fungicida a base de Mancozebe, altamente eficaz no manejo de resistência da ferrugem e controle auxiliar de doenças secundárias.

 

 

 


Tags: #Eleve #ferrugem asiática #fungicidas protetores #manejo #Nillus #Soja