Movido a desafios – Ourofino Agrociência

ReimagineAgro

Movido a desafios


09/04 12:40 372 visualizações

Compartilhar:

Persistir faz parte da vida dos brasileiros. Arrisco dizer, inclusive, que “resiliência” é a marca registrada de um povo, em sua maioria, trabalhador, honesto e dedicado. Não por acaso, o agronegócio, enraizado em nossas origens, é o carro-chefe do país.

Vejamos: atualmente, o setor responde por cerca de 25% do PIB nacional e por quase 50% do total de exportações; em 2017, foi o principal responsável pela queda da inflação; com condições climáticas favoráveis, registrou um crescimento expressivo na última safra, o que puxou uma expansão de 13% no PIB do setor. É o maior crescimento desde o início da série histórica.

Mesmo com todos estes fatores, o país sofre com a falta de infraestrutura de itens básicos, como logística. No Brasil, o investimento nesta área caiu dos 5,4% do PIB nos anos 1970 para taxas próximas de 2,3% desde os anos 1990. Atualmente, especialistas indicam que seriam necessários 3% só para conter a depreciação, além de aproximadamente R$ 1 trilhão em transportes até 2030 para se equiparar aos padrões de países como Rússia e Austrália.

Nesta edição, mostramos a força do país e sua importância quando o assunto é segurança alimentar do planeta. Mesmo com terra, clima e vocação em nosso currículo, contudo, é preciso repensar o futuro com base em ações do presente (vide página 10).

Previsões do Ministério da Agricultura, que projetam o setor para a próxima década, indicam alta de 29,4% na produção de grãos, com 259,7 milhões de toneladas, e com uma expansão de 14,8% na área plantada.

Diante disso, fica aqui a pergunta: como será escoada toda essa produção? Investimentos. Em todas as áreas. Não há outra forma.

A Ourofino Agrociência busca fazer sua parte. A inovação, um dos pilares de seu propósito, tem como objetivo desenvolver novos produtos e soluções com base nas necessidades e características da agricultura tropical, utilizando como fundamento principal o conhecimento desenvolvido pela pesquisa brasileira.

E toda estrutura disponível para o desenvolvimento destas soluções também foi tema de uma matéria especial desta edição, que conta em detalhes o trabalho realizado na fazenda experimental da companhia, localizada em Guatapará (vide página 28).

Toda atenção voltada ao mercado nacional não é à toa. Entre diversos outros fatores, a própria seletividade natural de pragas e doenças vivida nas lavouras gera resistência aos produtos existentes, trazendo novos problemas ao agricultor a cada ciclo. Para auxiliá-lo, mantemos áreas focadas em prospecção e desenvolvimento de formulações, acompanhamento de assuntos regulatórios, testes de campo e pesquisas de produtos inovadores e diferenciados.

Acreditamos no agronegócio. Acreditamos no país. E não há momento mais oportuno para discutirmos o futuro do que este: estamos em ano de eleições, quando os governantes dos próximos quatro anos serão escolhidos. É sim, um período de muitas incertezas e dúvidas, porém, são estes desafios que nos movem. Nossa paixão por inovar e buscar soluções para a agricultura brasileira, que estão traduzidas em nosso propósito, serão os fatores de sucesso.

Vamos em frente.

Ficou interessado? Quer saber mais?


Tags: #Editorial